Project Description

Você sabe o que faz um obstetra?

A importância do obstetra no processo de gestação é inegável, afinal de contas, somos nós quem trazemos novas vidas a este mundo!

O significado deste nome tem origem no latim obstare, que significa “ficar ao lado”. É exatamente isso o que nós obstetra fazemos, acompanhamos todo o processo gestacional, desde o pré-natal até o pós-parto.

A Obstetrícia em si é a área da medicina responsável por cuidar da reprodução humana, garantindo uma taxa elevada de nascimentos bem-sucedidos e proteção à vida das mulheres. Para garantir esta excelência, nós profissionais utilizamos conhecimentos e técnicas para identificar doenças e possíveis complicações decorrentes dos procedimentos médicos, sendo capazes de intervir a tempo.

Aqui no Brasil, a maioria dos profissionais que atuam nesta área, acabam atuando como Ginecologia e Obstetrícia e isso acontece porque ginecologia e obstetrícia (GO) formam uma só especialidade. Enquanto a obstetrícia lida com os fatores relacionados à reprodução humana, a ginecologia cuida da saúde do aparelho reprodutor feminino (vagina, útero, trompas e ovários) e mamas, acompanhando a mulher desde a infância até a terceira idade.

Mas hoje, quero falar com vocês sobre o período da Gravidez e como é especificamente o trabalho do Obstetra e da Mulher durante esta fase.

Assistência Pré Natal

São consultas periódicas para o acompanhamento da saúde da mãe e do bebê. É no pré natal que serão investigadas as doenças que podem afetar a gravidez. Este é o momento e a oportunidade de tirar dúvidas, ser examinada, atualizar a vacinação e de conhecer melhor o profissional que vai fazer o seu parto.

Salvo as exceções (que sempre existem em obstetrícia), as consultas são mensais até o 8º mês. Depois são quinzenais e semanais até o nascimento do bebê.

Não existe alta do pré natal! O acompanhamento continua até depois do parto.

Assistência puerperal

O período após o parto, chamamos de puerpério, é o momento em que ocorrem intensas modificações físicas e psicológicas nas mulheres num curto espaço de tempo.

Juntas, essas características contribuem para aumentar a insegurança da mãe em relação aos cuidados necessários para garantir a saúde do seu bebê e dela própria nesta fase inicial da maternidade.

Neste período sempre pensamos na adaptação com o novo bebê e recuperação após o parto. Além de orientações sobre a amamentação e a higiene do bebê, o momento foca nos cuidados da mãe após o parto. Assuntos como a cicatrização de cirurgia, em caso de parto cesáreo, ou a episiotomia, que é corte próximo à vagina, repouso e o retorno às atividades sexuais são abordados.

A mãe passou por transformações da gestação e do parto, e poderá se sentir frágil e insegura em alguns momentos. Se esses sentimentos aparecerem, é fundamental lembrá-la de que esta fase é passageira e que logo ela e o bebê estarão mais confortáveis nesta nova vida.

O parto do seu bebê

Falando de uma forma bem resumida, existem dois tipo de partos que as mães mais procuram: a cesárea (ou cesariana) e o parto normal.

O parto normal ainda pode ser diferenciado em parto vaginal cirúrgico que acontece normalmente em hospitais com com intervenções médicas como anestesia, aplicação de ocitocina (hormônio sintético que induz as contrações uterinas), episiotomia (corte vaginal) etc.; e partos vaginais naturais – quase sem intervenções ou apenas se necessárias.

O parto normal pode ser realizado em posições variadas ou ainda na água em uma banheira apropriada. Geralmente nas maternidades existem mais recursos de assistência para a mãe e para o recém nascido, mas há quem opte por ter o bebê em casa.

Nem sempre o parto normal é possível e nesses casos, a cesariana é uma cirurgia decisiva para garantir a segurança a mãe e ao bebê. Por se tratar de uma cirurgia, a recuperação da mãe é mais lenta do que a do parto normal, mas atualmente é considerado um procedimento seguro.

A decisão pelo melhor tipo de parto é aquele em que tanto a mãe quanto o bebê possam ter a melhor condição possível. Por isso o pré natal é muito importante. Somente através dele o médico terá informações essenciais sobre a saúde de ambos e será possível junto com o casal optar pelo parto mais adequado para aquela gestação.

Planejamento Familiar

O planejamento familiar é essencial para todo casal pois além de prevenir a gravidez não planejada, proporcionando maior qualidade de vida ao casal, que tem somente o número de filhos que planejou, através dele o obstetra também poderá ajudar em gestações de alto risco minimizando quaisquer intercorrências.

O planejamento familiar é algo que interfere diretamente em vários aspectos familiares se não for realizado:

  • saúde da mulher
  • estrutura psicológica dela e do casal;
  • condições financeiras;
  • desejo de se tornarem pais;
  • impacto na vida pessoal e profissional.

Muitos casais não se planejam se tornarem pais e isso pode trazer grandes dificuldades em adaptar-se com a criança. O despreparo nem sempre está relacionado somente a idade, condições emocionais também são levadas em consideração, assim como o fato da mulher não poder ter uma gravidez saudável em função de condições clínicas específicas.

Cabe a nós também a ajudar casais que desejam ter filhos mas não conseguem. Este é o momento que indicamos tratamentos ou técnicas de fertilização.

AGENDE SUA CONSULTA

Política de retorno: Retorno gratuito definido caso a caso.
Atendo pacientes entre 16 a 60 anos. Como orientação geral, chegar 10 minutos antes do início do atendimento.